• Lousada é a prova que se segue no Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy
  • Alteração Horário FPAK Madeira
  • 34 inscritos no ZOOM IGEST Rali do Faial
  • Renato Pita e Marco Macedo terminaram o Ypres Rally em terceiro lugar
  • Francisco Guedes e Rui Águas de novo no pódio

João Pedro Silva venceu a primeira corrida do Campeonato Nacional de Clássicos em Vila Real

Sáb, 24 de Junho de 2017

Vila Real é este fim-de-semana palco do terceiro Racing Weekend, desta feita apenas pontuável para o Cameponato Nacional de Clássicos Circuitos (CNCC) e Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300 (CNCC1300).

Ao fim da tarde foi altura do CNCC regressar à pista, para a primeira corrida do fim-de-semana. Houve emoção até ao final e João Pedro Silva foi o primeiro a cortar a meta e assim venceu os Históricos de 75.

 

CNCC

1ª corrida

João Pedro Silva (Porsche 911 RSR) partiu na frente, com a “armada” Ford Escort a segui-lo, encabeçada por Joaquim Jorge, seguido por Rui Azevedo.

Rui Alves ficou pelo caminho com problemas no Ford Escort, aos dez minutos de prova.

Com acorrida a meio Joaquim Jorge tentou pressionar Macedo, mas queimou a travagem e Rui Azevedo passou a pressioná-lo, por sua vez. A partir daí iniciou-se uma corrida louca, com os Ford completamente atravessados a darem o tudo por tudo.  Joaquim Jorge ainda chegou a dar um toque num rali, na sequência de uma “atravessadela” mais longa.

As posições da frente só se começaram a definir, a cerca de cinco minutos do fim, quando muito tráfego na pista criou algumas dobragens mais complicadas.

Filipe Matias (Lotus Elan) estava de pedra e cal na frente dos H71 e vencia a Taça 1600,era quinto, atrás de Jorge Areias (Ford Focus), o quarto da geral e dos H75. Ainda em termos de H71, Domingos de Sousa Coutinho (BMW 3.0CSI) e Joaquim Soares (Lotus Elan), eram os ocupantes das posições do póduim que restavam.

No sexto posto e a rodar próximo de Matias andava Rómulo Mineiro (Ford Escort RS2000), o líder do Grupo 5. No grupo seguiam-no Alexandre Guimarães (Lotus Elan) e José Artur Teixeira (Austin Mini).

Nos H81, Jorge Cruz rodava em primeiro, com o BMW 323i. O segundo lugar coube a Fernando Chavier (VW Sirocco).

Qualificação

Os Ford Escort dos H75 começaram por ditar lei. Rui Azevedo rodou em 2m 15,550 e começou por fazer assim a melhor marca, que durou até sensivelmente aos nove minutos, dos vinte que dura a qulificação. Nessa altura João Pedro Silva fez a melhor volta em 2m 13,748s e colocou Azevedo no segundo posto provisório, a 1,8s.

Jorge Areia rodou em mais quatro décimas que Azevedo e Joaquim Jorge foi uma décima mais lento do que o terceiro. A armada Escort a “rodear” o Porsche de João Pedro Silva.

João Novo alinhou com um Ford Escort de Grupo 5 e realizou o melhor tempo, em discussão com Rómulo Mineiro (Ford Escort RS2000), no que ao Gr. 5 dizia respeito.

Logo a seguir aparecia Filipe Matias (Lotus Elan), que se afirmava como o mais rápido dos H71

Jorge Cruz (BMW 323i) mais uma vez ditava lei nos H81

No Grupo 3 era Gonçalo Jordão o mais rápido, aos comandos do Porsche 928s.

Nos H65, João Vieira (VW Karmann Ghia), era o mais rápido. 

CNCC1300

Qualificação

Foi uma sessão muito animada, com Victor Araújo, em Datsun 1200 a conseguir a pole position.

Arnaldo Marques tentava rapidamente arrumar a seu favor a questão de quem seria o detentor da pole-position para a corrida de amanhã, com o tempo de 2m 29,705s, logo nos primeiros minutos da qualificação. Era também o melhor dos Históricos de 71.

Luís Alegria afirmava-se como o melhor H75 e simultaneamente era o segundo mais rápido da sessão, com mais 94 centésimas. José Fafiães só não foi segundo à geral por uma décima e assim detinha o terceiro tempo, segundo H75.

Rui Casto (Datsun 1200) dominou o Grupo 1.

A qualificação não começou bem para Filipe Nogueira. Logo no início o Morris Mini 1275GT ficava parado na pista.

A seis minutos do final dos treinos foi mostrada a bandeira vermelha. Bruno Pires (Datsun 1200) batia com alguma violência nos rails à entrada da recta da meta e a sessão de treinos era interrompida.

No retomar da sessão Victor Araújo fazia o tempo canhão de 2m 24,058s, era o melhor H75 e deixava José Fafiães a 3,072s. Luís Alegria era duas décimas mais lento e assim era terceiro e Arnaldo Marques ficava com quarto posto da grelha, melhor H71.